quarta-feira, 23 de maio de 2012

Transmutação

Um fiapo roto de pena o pássaro perdeu
Levitando no labirinto temporal, seguiu com o vento
Planando de leve, a gigante sombra no Egeu -
Ah, ondas salgadas do meu pensamento
.
E a pena ardia, feito pimenta
Na triste noite que caía
Nos olhos negros como senda
Rios de lágrimas de nostalgia
.
E era pena, e era dor
A pena que dói
Sem ser amor(te)
A pluma que rói
E era eu, e era o pássaro
A vontade de voar
E era o pássaro, e era o chão
Cair pra se libertar
Era espaço
Era tempo
Era eu...Só.