segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

La Llorona e Adela Alba



México e Espanha.
Uma lenda e uma personagem.
Duas tragédias magníficas...

Tive um insight acerca dessas duas personagens magníficas. A solução trágica para uma situação dramática opressora e claustrofóbica, que parece funcionar como única alternativa possível para a personagem Adela diante de um mundo que só lhe oferecia limites e nenhuma escolha, configura-se na mesma saída que La llorona escolheu. La Malinche preferiu matar seus filhos a perdê-los para a guerra e, depois, suicidou.
<........>
Esta é a minha dica de hoje: analise atentamente A Casa de Bernarda Alba junto à lenda mexicana de La Llorona. Você vai se surpreender com as semelhanças!

OBS: E de resto, deixo a música de Beirut:

video

[Peça: A Casa de Bernarda Alba, de Federico Garcia Lorca
Lenda: La Llorona, México
Filme: The Cry, de Bernardine Santistevan ]

Um amanhecer na Aurora...


A aurora n’Aurora

É água, sal, furta-cor

De casas, portas e telhados – vazios.


Amsterdam,

Veneza,

Um amanhã...

Minhas alegrias em azuis

Que se imitam em – rios

Saúdam a Colombina sem confetes,

Acenam com cores ao Capibaribe Arlequim


Imagens que na mente viajam milhas por segundo

Misturam-se em sons para dançar um frevo-canção

E é de jeito que dentro de um único passo

Enganam-me

Para na manhã seguinte

Novamente estarem em conjunto



Inspirando-me

Confundindo-me

Alegrando-me



Ó bela Aurora, despertar do dia

Açúcar da maçã

Também quero cantar tua melodia...

Linda - estrela da manhã.